Propostas para a união de freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos

Share Button

Em coerência com a natureza aberta e assembleária da candidatura, criámos um grupo de trabalho (entretanto consubstanciado numa lista) onde começámos por partilhar as questões que mais nos preocupam na freguesia:
– a demolição do Bairro do Aleixo,
– o realojamento negligente das pessoas noutros bairros, cuja realidade se está a tornar mais preocupante ainda do que a do lugar de onde foram expulsas,
– a população sem abrigo que aumenta todos os dias na Rua de Júlio Dinis,
– a redução nas linhas e nos horários dos transportes públicos ou a limitação do acesso à linha do eléctrico para uso corrente,
– os equipamentos públicos sucessivamente descaracterizados, negligenciados, entregues a privados ou sob ameaça (o Palácio de Cristal, o Mercado do Bom Sucesso, o Museu do Carro Eléctrico, o Solar do Vinho do Porto, entre outros),
– a ausência de uma resposta à crise social que assegure condições de vida dignas para as pessoas,
– a desresponsabilização face à realidade das escolas e seus agrupamentos na freguesia, cada vez mais distantes de uma resposta pública adequada às comunidades,
– a inexistência de uma política social integrada que assegure a não discriminação dos cidadãos de etnia cigana ou dos imigrantes,
– a falta e investimento no enorme potencial dos jovens da freguesia,
– a urgência de estudos à volta das questões ambientais inerentes aos recursos naturais da freguesia (o Rio Douro, a Ribeira da Granja, o Obsertório de Aves do Jardim do Calém, o Parque da Pasteleira, entre outros),
– a valorização e o apoio à iniciativa cultural e artística na freguesia, espontânea e associada, como acontece na Rua Miguel Bombarda,
– ou o reconhecimento da comunidade piscatória existente na freguesia.
A coligação PSD/CDS, como no município, tem sido conivente com as políticas que estão a depauperar as freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos. Tem faltado nesta freguesia a voz das pessoas e a capacidade e implementar uma governação local que envolva todas as partes interessadas, começando por nós fregueses, na procura de soluções que favoreçam a comunidade e não interesses e negócios de especulação.

1 # Direito ao lugar. Habitação e Mobilidade.
2 # Devolver os equipamentos públicos às pessoas.
3 # Responsabilidade face à desinserção e à marginalidade.