Intervenção na Assembleia Municipal de 22/10

Share Button

Após saudar toda a assembleia e em especial os agora eleitos, quero realçar que à nova Assembleia Municipal são colocados desafios muito exigentes. A começar pela dignificação da Assembleia.
Situações como a da Seiva Trupe ou do Bolhão têm que merecer a posição clara deste órgão autárquico que, no figurino constitucional, é o primeiro órgão representativo da cidade. Garantir a participação dos cidadãos e cidadãs é logo das primeiras preocupações: esta sala de sessões foi construída muito recentemente mas apenas permite a presença de 28 pessoas na área do público. Não pode ser.
Insistimos de novo que não há razões técnicas que obstem à transmissão em directo, via sítio da Câmara na net, das sessões da Assembleia Municipal.
Quanto à informação e transparência das decisões, em Abril próximo já vai ser possível verificar se se vai abrir uma nova página ou se a situação escandalosa de nos últimos 12 anos nunca ter sido apresentado o inventário dos bens patrimoniais, se vai manter.
Nesta Assembleia Municipal, votaremos cada proposta pelo seu mérito próprio, independentemente de onde venha. Esperamos que o mesmo suceda com as propostas apresentadas pelo Bloco de Esquerda. Nunca abdicaremos de construir pontes em nome da resposta aos portuenses e da transformação à esquerda de que a cidade precisa.
O Bloco de Esquerda, aqui estará nos próximos 4 anos, com diversas vozes, com as suas críticas e com as suas propostas concretas. Não faltaremos a nenhuma solução verdadeira para a cidade. Não nos remeteremos ao silêncio em nenhuma ocasião. E não faltaremos às lutas e às resistências que, no Porto, se travarão pelos equipamentos públicos, pela habitação, pela resposta contra a austeridade, pela democracia e pela participação dos cidadãos.

Discurso de tomada de posse pelo deputado á assembleia municipal na tomada de posse, José Castro