Cabeça de lista à junta de freguesia de Campanhã

Share Button

Elsa Silva, 35 anos, nasceu e sempre viveu em Campanhã, (Bairro S. Vicente de Paulo demolido por esta maioria de direita), auxiliar de ação social, desempregada, mãe de dois filhos, integra a Associação de Pais do Agrupamento de Escolas do Cerco do Porto.

Porque te meteste nisto?

Atenta aos problemas da minha freguesia fui adquirindo um conhecimento mais profundo dos mesmos.
Carência de habitação e degradação do seu edificado, demolição de alguns bairros espalhando as pessoas por outros lugares da cidade quebrando os laços de solidariedade que se formaram ao longo de anos.
Pobreza profunda, população envelhecida e com falta de apoios sociais, com rendimentos tão baixos que nem conseguem comprar os medicamentos. Com poucos transportes e atendimento deficiente nos centros de saúde, a unidade de Azevedo está actualmente sem médico.
Pelas dificuldades por que passam algumas associações e clubes, muito importantes no apoio à juventude.
Um abandono escolar grande e consequentemente uma juventude abandonada.
A mobilidade e os transportes, ou a falta deles, Campanhã tem sido uma freguesia bastante agredida pela falta de planeamento a que foi votada, esquartejada pela linha do comboio, agora pela linha do metro, pela Circunvalação, e pela Via de Cintura Interna.

Aceitei o desafio de ser candidata em Campanhã por me reconhecer nos princípios desta candidatura de “virar o Porto ao contrário” e que é o que vamos fazer.

Cabeça de lista à junta de freguesia de Campanhã